Assupira quer promover o conhecimento e a inclusão da comunidade surda no município

Assupira quer promover o conhecimento e a inclusão da comunidade surda no município

A inclusão e o respeito deveriam ser atitudes comuns em qualquer lugar, mas infelizmente essa é uma realidade diferente da qual vivemos e por isso organizações como a Assupira (Associação de Surdos – Libras Piracicaba), fundada neste mês de julho e com trabalho voluntário, se tornam tão importantes para dar visibilidade a causas que, na maioria das vezes, são desconhecidas por muitas pessoas.

A Assupira é fruto do trabalho realizado pelo grupo Libras Piracicaba e Região que, desde 2019, desenvolve um trabalho na cidade com o intuito de fortalecer a comunidade surda. A equipe trabalha para que essas pessoas sejam atendidas com mais qualidade nos diversos âmbitos da vida social: educação, saúde, trabalho, cultura e lazer. No entanto, algumas dessas necessidades não podiam ser acolhidas na informalidade e com o objetivo de continuar o trabalho e realizar o sonho da comunidade de ter uma instituição que representasse suas aspirações, líderes surdos, em parceria com pessoas ouvintes, decidiram fundar a Assupira”, destacou o presidente da Associação, Thiago Pereira da Silva.

Sem um espaço representativo para atender a comunidade surda no município, a Assupira espera levar ao conhecimento de toda a população a importância do trabalho em prol desse grupo de pessoas. “Sentíamos falta de um local em Piracicaba que pudesse representar as aspirações dessa comunidade, referentes à divulgação da importância da Libras e que favorecesse as discussões a respeito das características e especificidades dessas pessoas, além de parcerias para formação e aperfeiçoamento para surdos, familiares, intérpretes, professores e demais interessados. A criação da Assupira pretende preencher essas lacunas e, na medida do possível, contribuir para a construção de uma cidade mais justa e inclusiva para todos” destacou a 2ª secretária Beatriz Turetta.

PARCERIAS

Atuando em um prédio alugado e por enquanto apenas para atender a demanda burocrática por conta da Covid-19, a Assupira resgatou diversas parcerias públicas e também com empresas privadas já pensando nos projetos presenciais para quando a pandemia estiver mais controlada. “Costumamos dizer que primeiro juntamos o povo e depois materializamos a Associação. Nesse sentido, iniciamos a Assupira com algumas parcerias que já faziam parte da história do grupo Libras Piracicaba e Região. Temos o apoio importante da Câmara Municipal de Piracicaba, por meio do presidente Gilmar Rotta, que, inclusive, nos deu todo o suporte jurídico para a criação da Associação, e nas pessoas de diversos vereadores que têm demonstrado empatia com a nossa causa. A Secretaria Municipal de Saúde implantou o Sistema de Interpretação em Libras na rede pública municipal e tem demonstrado muito interesse em atender as demandas dessa comunidade”, explicou Silva.

“Recentemente, estabelecemos uma parceria com a SEMA (Secretaria da Agricultura e Abastecimento), que nos colocou em contato com a Empresa CJ do Brasil e com a Aldeia Brasil para a criação do Projeto Horta-escola, que prevê a aprendizagem da preparação da terra, plantio, cuidado, colheita e comercialização com o apoio dos alunos da Esalq/USP (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) . Também firmamos parcerias com professores da UFSCar (Universidade Federal de São Carlos), que ministrarão cursos de formação gratuitos e certificados pela UFSCar aqui na cidade”, complementou.

ATIVIDADES

No mês de agosto, a Assupira oferecerá atendimento terapêutico, cursos e oficinas voltadas à comunidade surda e seus familiares. A partir desta terça-feira (21) até o próximo sábado (24), os interessados podem participar dos encontros virtuais que vão apresentar o conteúdo das sete atividades ofertadas. Os links estão disponíveis nas redes sociais da Associação: Facebook e Instagram.

DOAÇÕES

Além de Thiago e Beatriz, a Assupira também é composta pelo vice-presidente, Alexandre Ribeiro e pelo 1º secretário, David Rodrigues Marques. Para custear os gastos da sede, além e ampliar o atendimento à comunidade, a Associação realiza diversas ações para arrecadar fundos, como a venda de rifas e pizza, e também doações via Pix. Quem quiser contribuir, pode entrar em contato com o grupo pelas redes sociais.

 


 

 

 

 

 

 

Carol Castilho é jornalista. 

 

 

(Foto de capa: Rodrigo Alves).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *