Sesc Piracicaba segue com “Mostra Cine e Vídeo de Poesia Falada”

Sesc Piracicaba segue com “Mostra Cine e Vídeo de Poesia Falada”

Utilizar as plataformas digitais tornou-se um novo formato de trabalho de artistas das diversas linguagens. Diante dessa nova realidade, o Sesc Piracicaba convidou 11 poetas para a realização da Mostra Cine e Vídeo de Poesia Falada, um projeto que contempla profissionais premiados e renomados da literatura e das artes que utilizam o digital para divulgar suas produções poéticas.

Os videopoemas serão distribuídos no canal do Youtube e nos perfis do Instagram e Facebook do Sesc Piracicaba. Os conteúdos também podem ser encontrados também pela hashtag: #mostrapoesiafalada.  

Uma oficina virtual também convida o público a conhecer mais sobre a criação de roteiro completo e a produção de um videopoema. As inscrições estão abertas pelo site inscricoes.sescsp.org.br.  

Confira aqui o videopoema de Ademir Assunção – Caverna: 

www.youtube.com/watch?v=9ZWEE8R7xW8&t=5s&ab_channel=SescPiracicaba  

Conheça os poetas que participam da Mostra Cine e Vídeo de Poesia Falada:  

Ademir Assunção – Caverna  

Nasceu em Araraquara/SP no ano de 1961. É poeta, escritor, jornalista e letrista de música brasileira. Autor de livros de poesia, ficção e jornalismo, venceu o Prêmio Jabuti 2013, com “A Voz do Ventríloquo”, o Melhor Livro de Poesia do ano e “Pig Brother”, o livro seguinte, ficou entre os finalistas do Prêmio Jabuti 2016. Suas publicações mais recentes são o não-romance Ninguém na Praia Brava (2016) e a plaquete Parapsicologia da Decomposição (2017).  

Formado em Londrina (UEL), trabalhou como repórter e editor nos jornais e revistas; co-editou as revistas literárias K’an e Coyote, junto com os poetas Marcos Losnak e Rodrigo Garcia Lopes. No livro “Faróis no Caos” (2012) reuniu as melhores entrevistas com grandes poetas, escritores e compositores brasileiros, como Augusto de Campos, Paulo Leminski, Roberto Piva, Itamar Assumpção, Luis Melodia e Caetano Veloso.  

Como letrista, tem parcerias gravadas em discos com artistas como Itamar Assumpção, Edvaldo Santana, Madan, Bernardo Pellegrini, Renato Gama e Ney Matogrosso, e com as cantoras Maricene Costa, Patrícia Amaral, Titane, Mona Gadelha e Jordana. Gravou os discos de poesia e música Rebelião na Zona Fantasma e Viralatas de Córdoba. Poemas e contos de sua autoria foram traduzidos para o inglês, espanhol e alemão, e publicados em livros e revistas na Argentina, México, Peru e EUA. Participou de exposições de poesia visual na França, Austrália e Portugal.  

Sobre a Mostra: Esse videopoema integra a Mostra Cine e Vídeo de Poesia Falada, realizada pelo Sesc Piracicaba. O projeto contempla mais dez poetas brasileiros contemporâneos que usam a poesia falada como uma forma de utilizar as plataformas digitais para divulgação de suas produções poéticas.  

Victor Colonna – Sexta feira  

Carioca, é poeta e cronista.
Tem três livros publicados: Sujeito Oculto (1999), Cabeça, Tronco e Versos (2009) e Antes que eu me Esqueça (2015)  

Adeilton Lima – “Fala”
Nasceu em 1965, em Manaus (Amazonas). É ator e professor de teatro, literatura e cinema com mestrado em Teoria Literária e doutorado em artes, pela Universidade de Brasília. Há mais de 30 anos atua em Brasília onde é conhecido pelo trabalho direcionado para a poesia e pelos solos de investigação teatral como “A Conferência”, de sua própria autoria, “Diário de um Louco”, de Nicolai Gogol e “Para Acabar com o Julgamento de Deus”, de Antonin Artaud.  Em 2016, apresentou o espetáculo “Glauber Rocha, O Profeta do Delírio”, resultado de sua pesquisa de doutorado. Lançou, naquele mesmo ano, seu primeiro livro de poesias com o título “Sempre Diga Eu te Amo da Boca pra Dentro”.  

Celso Borges – “Baile”
Poeta, jornalista e letrista nascido no Maranhão. Parceiro de Zeca Baleiro, Chico César, Assis Medeiros, Nosly e Criolina entre outros. Tem 11 livros publicados, entre eles NRA (1996), XXI (2000), Música (2006) e Belle Époque (2010). Desenvolve projetos de poesia no palco desde 2005: Poesia Dub, com Otávio Rodrigues; A Posição da Poesia é Oposição, com Christian Portela e Luiz Claudio Farias; e Sarau Cerol, com Beto Ehongue. Tem poemas publicados em revistas de literatura, entre elas Coyote, Oroboro e Poesia Sempre. Foi curador da Feira do Livro de São Luís (FeliS) em 2013 e 2014.

Armando Liguori Junior – “Como treinar uma solidão”  

Nasceu em 12 de dezembro de 1964, em São Paulo. É formado em jornalismo pela PUC-SP e Artes Cênicas pelo Teatro-Escola Célia Helena. Trabalha como redator, roteirista, ator em eventos e vídeos corporativos. Tem 3 livros publicados; sendo 2 de poemas: “A poesia está em tudo”, Editora Patuá (2020); Territórios, Editora Scortecci (2009) e um de dramaturgia, “Textos curtos para teatro e cinema”, pela GIOSTRI Editora (2017).  

Participou das antologias: RUINAS, também pela editora Patuá (2020) e Poesia e Prosa em Casa – Pandemia  em e.book na Amazon. Escreveu, adaptou e atuou em diversos espetáculos da Cia Os Tios (da qual é um dos fundadores), entre eles: “Dentro do Bosque” do filme Rashomon de Kurosawa e “Matteo perdeu o emprego”, do livro de Gonçalo M. Tavares.Atualmente mantém um canal no YouTube (com o nome Armando Liguori), dedicado a leituras literárias.  

Arthur Gomes – “Revirando a Tropicália”  

www.facebook.com/artur.gomes.9083  

Poeta, ator, video.maker e produtor cultural. Nasceu em 1948 na Fazenda Santa Maria de Cacomanga, em Campos dos Goytacazes (RJ).  

Autor dos livros “Juras Secretas” – Editora Penalux, 2018; “Pátria A(r)mada” (Editora Desconcertos, 2019), “O Poeta Enquanto Coisa” – Editora Penalux, 2020; “O Homem Com A Flor Na Boca: Deus Não Joga dados”. Recebeu prêmio Oswald de Andrade – UBE-Rio 2020. Dirigiu (1975 a 2002) a Oficina de Artes Cênicas do Instituto Federal Fluminense; criou (1983) o projeto Mostra Visual de Poesia Brasileira; idealizou (1993) a Mostra Visual de Poesia Brasileira Mário de Andrade — 100 anos e criou (1995) o Projeto Retalhos Imortais do SerAfim – Oswald de Andrade Nada Sabia de Mim, ambos realizados pelo Sesc SP. Atualmente leciona Poéticas no Curso Livre de Teatro, coordena o Sarau Santa Balbúrdia, na Casa Criativa Santa Paciência e o Sarau Balbúrdia Poética. É também Diretor de Arte e Produção da Fulinaíma MultiProjetos e atua na produção da Mostra Cine Vídeo De Poesia Falada.  

Cesar Augusto de Carvalho – “Três poemas em curto”  

Poeta, escritor, sociólogo, historiador e professor universitário aposentado. Tem três livros de poesia: Proesia (edição do autor, 2013); Lavras ao Vento, Pá (Benfazeja, 2017) e Curto-circuito (Patuá, 2019). Como escritor, lançou em 2008 o livro Viagem ao Mundo Alternativo: a contracultura nos anos 80 (Unesp), resultado de sua viagem realizada em 1986 numa moto CG125 pelas comunidades espalhadas pelo Brasil. Lançou em agosto de 2020 o livro de contos Histórias de Quem (Desconcertos) e aguarda, ainda para este ano, a publicação da novela Raul e Eu, a história de um personagem que assume a personalidade de Raul Seixas. Trabalhou, de 2010 a 2015, como colaborador do programa radiofônico Estação Raul, dedicado à vida e obra do cantor baiano. Deste programa saiu o livro Toca Raul (Edição do Autor, 2014), com os contos, crônicas e uma radionovela veiculadas pela rádio UEL FM, de Londrina, PR. Organizador, junto com Rubens Jardim, do Sarau da Paulista, todo último domingo do mês, na Casa das Rosas, e Gente de Palavra, na Livraria Patuscada. Saraus atualmente suspensos devido à pandemia.  

Alberto Sobrinho – “Enquanto a Boiada passa”  

Psicólogo, psicopedagogo, professor de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira, Oficial da Marinha do Brasil, poeta e, orgulhosamente, contraditório.  

Sobre a Mostra: Esse videopoema integra a Mostra Cine e Vídeo de Poesia Falada, realizada pelo Sesc Piracicaba. O projeto contempla mais dez poetas brasileiros contemporâneos que usam a poesia falada como uma forma de utilizar as plataformas digitais para divulgação de suas produções poéticas.  

Tchello d’Barros – “Etílica Política”  

Escritor e artista visual, nasceu em Brunópolis (SC) no ano 1967. Já morou em 15 cidades, realizou atividades culturais em todos os Estados do Brasil, deambulou por 20 países e desde 2013 está radicado no Rio de Janeiro.  Atua profissionalmente como desenhista, editor, curador e produtor cultural. Estudou Literatura e Artes Plásticas, História da Arte na Fundaj (PE) e Audiovisual no NuPa (PA); e atualmente cursa Cinema/Audiovisual (Rádio & TV) na UFRJ (RJ).  

Tem seis livros publicados, além de contos, crônicas e artigos também em mais de 50 coletâneas, antologias e livros didático. Tem itinerado pelo Brasil com a exposição “Convergências”, uma retrospectiva de sua produção em Poesia Visual. Suas obras visuais já participaram de mais de 150 exposições.  

Integrou por 6 anos o Colegiado Setorial de Artes Visuais do Minc e a Câmara Setorial de Artes Visuais da Funarte; é fundador na internet do Museu de Poesia Visual; criou o Fórum Brasileiro de Literatura.  

Recebeu a medalha de Chanceler Cultural da Asbaerj – Academia Soberana Brasileira de Artes do Estado do Rio de Janeiro; Prêmio Expoente da Cultura Nacional, do Movimento União Cultural; e a medalha de honra ao mérito Brazilian Peace, Literature, Sustaintability and Arts, da Associação Internacional de Poetas, entre outros.  

Regina Azevedo – “Película”  

Maria Regina Soares Azevedo de Andrade nasceu em Natal (RN) em 2000. Começou a escrever aos 12 anos e fundou o grupo “Iapois, poesia!”. Autora dos livros “Das vezes que morri em você” (Jovens Escribas, 2013), “Por isso eu amo em azul intenso” (Jovens Escribas, 2015) e “Pirueta” (selo doburro, 2017).  

Participou do evento “Coro de vozes”, da Biblioteca Mario de Andrade (2020) e da Feira Desvairada de Poesia (SP) (2020); foi poeta selecionada para a antologia “29 poetas hoje”, organizada por Heloisa Buarque de Hollanda, em pré-venda pela editora Companhia das Letras.  


Antônio Cunha – “Suite Para Violoncelo”
  

Nasceu e reside em Florianópolis (SC). Ator, dramaturgo, roteirista, diretor de teatro e poeta.  

Como dramaturgo, possui mais de oito peças encenadas. Publicou o livro “Três D(r)amas Possíveis” (2004), com textos teatrais de sua autoria, dentre esses “Dona Maria, a Louca”, que foi encenado em Portugal pela atriz e diretora Maria do Céu Guerra.  

Diretor de teatro e ópera, dirigiu espetáculos como “Uma Visita”, de Martin Walser e “Sonho de Uma Noite de Velório”, de Odir Ramos da Costa. Exerce desde 2004 o cargo de diretor cênico e vice-presidente da Cia. Ópera de Santa Catarina, tendo dirigido a montagem de mais de 12 óperas, dentre essas La Traviata, A Flauta Mágica, O Em Barbeiro de Sevilha, As Bodas de Fígaro e Carmen.  

É poeta ativo, porém ainda não publicou sua produção poética em livro. Em 2011 assumiu uma cadeira na Academia Catarinense de Letras e Artes e desde 2016 é seu presidente. Desde março de 2020, em decorrência do isolamento forçado devido à pandemia do novo coronavírus, desenvolve o projeto que denominou Série Outros Autores, através da qual seleciona e interpreta dramaturgicamente poemas de variados autores, brasileiros ou não, para difusão em redes sociais, traçando um panorama da produção poética contemporânea.  

MOSTRA CINE E VÍDEO DE POESIA FALADA De 13 a 27/4

youtube.com/sescpiracicabainstagram.com/sescpiracicabafacebook.com/sescpiracicaba

Oficina de videopoema

Dia 28/4, quarta, 19h às 22h
Dia 1/5, sábado, 10h às 13h
Dia 6/5, quinta, 19h às 21h30


Inscrições abertas em: inscricoes.sescsp.org.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *