Em reunião pública, Prefeitura não convence sobre o não repasse de emendas à Associação Ilumina

Em reunião pública, Prefeitura não convence sobre o não repasse de emendas à Associação Ilumina

Atividade aconteceu na tarde desta terça-feira, 13/04, na Câmara dos Vereadores de Piracicaba.

Ainda não são claros os motivos que levaram a Prefeitura de Piracicaba a não repassar o valor de 700 mil reais referentes a duas emendas conquistadas pela Associação Ilumina junto à senadora Mara Gabrilli (PSDB) e ao deputado Coronel Tadeu (PSL). Montante expressivo e fundamental para que a Associação Ilumina possa dar continuidade ao trabalho que vem oferecendo à cidade no rastreamento e prevenção do câncer, as emendas estão paradas nos cofres públicos do município aguardando – agora – uma decisão judicial interposta pela associação.

O não repasse dessas emendas e o imbróglio criando entre Prefeitura e Associação Ilumina chegaram à Câmara de Vereadores após dois requerimentos de autoria da vereadora Rai de Almeida (PT), aprovados em conjunto pelos vereadores e vereadores – e também após envio de “dossiê” sobre o caso encaminhado pela Ilumina aos vereadores e vereadoreas – e em especial à presidência dessa casa de leis. Chamada então pelo presidente da Câmara, o vereador Gilmar Rotta (CID), a reunião pública desta terça colocou lado a lado a Associação Ilumina e a Secretaria da Saúde de Piracicaba.

Dentre os motivos apresentados pelo secretário de saúde de Piracicaba, Filemon Silvano, e também pelo procurador do município, Fábio Ferreira de Moura, oscilaram argumentos sobre uma suposta não prestação de contas do Ilumina e, depois, sobre uma possível não apresentação de um plano de trabalho da associação referente ao uso futuro do dinheiro dessas emendas – argumentos que, ao que parece, caíram por terra durante a sessão mediante a apresentação da prestação de contas feita pela associação e também pela exposição de um plano de trabalho – também segundo o que apresentou a associação – já entregue e aceito pela Secretaria da Saúde no início deste ano.

Nesse sentido, tornou-se fala corrente entre os vereadores e vereadoras durante a reunião a necessidade de se encontrar uma solução rápida para essa questão visando-se que o consequente repasse das verbas ao Ilumina precisa acontecer também com brevidade – uma vez que é a população piracicabana a maior prejudicada com essa questão.

Para tanto, ao final da sessão, o presidente da Câmara indicou que a Comissão de Saúde da casa, juntamente com mais três vereadores a serem definidos, assumam o papel de mediar a questão entre Prefeitura e Ilumina – ideando alinhar os pontos entre a prefeitura e a associação.

Aguardando as cenas dos próximos capítulos, segue – mais uma vez – parte da população piracicabana que, se o impasse não for resolvido com a celeridade que merece, pode vir a perder esse importante atendimento gratuito a ela oferecido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *