Cidadania Ativa: Solidariedade às Marias

Cidadania Ativa: Solidariedade às Marias

A cidade de Piracicaba, como tantas cidades do imenso Brasil, sofre com sérios problemas sociais, que avançam sobre todas as áreas. Se pudéssemos elencar a miríade de questões problemáticas que envolvem o cotidiano social da cidade, não teríamos espaço suficiente neste breve artigo. O fato é que Piracicaba precisa ser repensada, a partir de uma visão contemporâneo de sustentabilidade sócio-ambiental, integrando sociedade e natureza.

A construção de uma nova dinâmica social, em uma lógica de cidade para todos, é tarefa coletiva e deve ter como motor o sentido forte de cidadania política. A cidade é sempre para os cidadãos. De maneira democrática e com plena participação, são os cidadãos, em um movimento de pertença e corresponsabilidade, quem deve pensar e decidir sobre a cidade que querem viver. Esse fundamental processo de intenso envolvimento político pode ser considerado como cidadania ativa.

É na esteira da cidadania ativa, na busca por construí uma outra sociabilidade, que nasce o Projeto Solidariedade às Marias. O nome do projeto aparece como uma designação geral de uma série de ações e campanhas solidárias, que buscam dar uma resposta emergencial, imediata e assistencial aos diversos dramas sociais vividos pelas comunidades na cidade de Piracicaba. No entanto, Solidariedade às Marias não quer se reduzir a mero assistencialismo, mas há situações de vulnerabilidade extrema que demandam respostas urgentes.

 As questões sociais devem ser sempre enfrentadas pelo Estado, por meio de políticas públicas adequadas – construídas em profundo diálogo com a população –, que resolvam os problemas de maneira consistente e não apenas com respostas paliativas. Além das ações solidárias, o Projeto Solidariedade às Marias quer mobilizar a sociedade em seu conjunto para uma organização mais efetiva na luta por políticas públicas e direitos.

A primeira ação social do Projeto Solidariedade às Marias consiste na reconstrução e recuperação da casa de dona Maria Aparecida, que mora em condições extremamente precárias, no coração do bairro Bosques do Lenheiro, localizado na zona norte da cidade. A casa de dona Cida, é uma construção da Emdhap, e precisa de uma reforma estrutural urgente, pois corre sérios riscos de desabamento.

O Projeto Solidariedade às Marias parte do princípio de que morar com dignidade é um direito básico. A campanha consiste em arrecadar fundos para reconstruir a casa de dona Cida, contando com a perspectiva de trabalho voluntário e mutirão. Ante a ausência de políticas públicas, a organização da sociedade civil é essencial, construindo uma importante rede de apoio, na dinâmica da cidadania ativa. Eis o link para participar e compartilhar da vaquinha virtual em Solidariedade às Marias: http://vaka.me/2020797.

 


 

 

 

 

 

 

 

 

Adelino Francisco de Oliveira é professor no Instituto Federal, campus Piracicaba, doutor em Filosofia e mestre em Ciências da Religião.

adelino.oliveira@ifsp.edu.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *