IV Fórum de Africanidades evoca a resistência.

Evento – que acontece nessa terça, dia 31 de outubro, Às 19h30, no Auditório Verde da Unimep – debate os males da Intolerância, Racismo e Preconceito. A atividade tem entrada franca.


 

Resistir é preciso! Esse o mote que move o IV Fórum de Africanidades do Curso de Letras da Unimep que acontece nesta terça, às 19h30, no Auditório Verde da Universidade Metodista de Piracicaba. Em tempos de crise e da ascensão de uma onda reacionária nacional e internacional, o evento evoca os movimentos de resistência que marcaram a história da humanidade e propõe um debate acerca das raízes que estão na base dos males da intolerância, do racismo e do preconceito. A atividade tem entrada franca e é aberta a todos os interessados.

Programação

Abrindo esse VI Fórum com energias musicais vibrantes vindas da mães áfrica – e aderindo ao caráter de resistência que o encontro propõe –, o músico, compositor e professor de filosofia Nuno Gerais recebe os presentes com canções temáticas do universo dos afro-sambas brasileiros. No repertório, composições como “É do Oxum” e “Canto de Ossanha”, além de uma composição do próprio Nuno.

Na sequência, as professoras Caroline Jango e Lorena Faria – acompanhadas pelo professor Adelino de Oliveira – todos do Instituto Federal, assumem a mesa de trabalhos desse que promete ser um dos mais marcantes fóruns realizados pelo curso de Letras tendo como enfoque a africanidade. A mediação da atividade ficará a cargo do professor Alexandre Bragion, coordenador geral do fórum e professor de Literatura Africana na Unimep.

 

“Aqui tem Racismo” – lançamento de livro.

Pesquisadora das questões referentes ao universo do preconceito e do racismo, a professor Caroline Jango – mestra em Educação (2012) pela UNICAMP, doutorado em Educação na mesma instituição e coordenadora Geral do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas do IFSP desde 2015 (NEABI) e membro do grupo de pesquisa DiS (Diferenças e Subjetividades na Educação – Unicamp) desde 2006 – oferecerá também ao presentes a oportunidade de conhecer e de adquirir o seu mais recente livro “Aqui tem Racismo”.

Conferencistas

Professora Caroline Jango.

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Campinas (2008) é pós-graduada em Gestão de Negócios pelo SENAC – Campinas (2010), possui Mestrado em Educação (2012), também pela UNICAMP e cursa Doutorado em Educação na mesma instituição. Atualmente é Pedagoga no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), representando a Diretoria Adjunta de Desenvolvimento Comunitário na Pró-reitoria de Extensão do IFSP, Coordenadora Geral do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas do IFSP desde 2015 e membro do grupo de pesquisa DiS (Diferenças e Subjetividades na Educação – Unicamp) desde 2006. Atua principalmente nos seguintes temas: Representação Social, Escola, Preconceito Racial, Formação Docente, Política Pública.

 

Professor Adelino de Oliveira

Possui graduação em Filosofia pela Universidade São Francisco (1996), mestrado em Ciências da Religião, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2004) e doutorado em Filosofia, pela Universidade Católica Portuguesa (2013). É pós-doutor, pelo departamento de Economia, Administração e Sociologia, da Universidade de São Paulo, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz; USP/ESALQ. Tem experiência na área de Teologia, com ênfase em Ciências da Religião, atuando principalmente nos seguintes temas: Direitos Humanos, Complexidade, Pós-modernidade, Ética, Ciências da Religião e Educação. Possui significativa experiência na gestão de Extensão Universitária. É líder do Grupo de Pesquisa Direitos Humanos e Juventude, vinculado ao Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo. É membro pesquisador do Grupo de Pesquisa Pós-Modernidade e Religião (Pós-Religare), vinculado ao programa de Estudos Pós-Graduados em Ciências da Religião da PUC/SP. Atua como docente no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), campus de Piracicaba.

Professora Lorena Faria

Doutoranda em Estudos Literários pela Universidade Federal de Uberlândia/Universidade Estadual de Campinas (2017). Mestre em Letras pela Universidade Federal de Uberlândia (2015), com trabalho voltado às literaturas negra e indígena na constituição da identidade leitora de alunos do Ensino Fundamental II. Especialista em Docência para a Diversidade da Educação Básica (2012), com atuação na área de Literatura e aplicações metodológicas da Lei 10.639/03. Possui graduação em Letras e Linguística, com habilitação em Português, Francês e respectivas literaturas, pela Universidade Federal de Uberlândia (2006). Atuou como professora supervisora do PIBID (Programa Institucional de Bolsa de Incentivo à Docência) entre 2010 e 2013, nos níveis fundamental e médio. É servidora do Instituto Federal de São Paulo, Campus Capivari, com atuação profissional nos níveis médio, técnico e superior. Coordenou o projeto de extensão Batuque de Umbigada: ritmo, história, memória, resistência e identidade cultural; com atuação na cidade de Capivari e região (2016). Membro do NEABI – Núcleo de Estudos Afrobrasileiros e Indígenas do IFSP e do NUGS – Núcleo de Estudos sobre Gênero e Sexualidade na mesma instituição. Tem experiência na área de Letras, Estudos Literários, Estudos Culturais e Educação, com ênfase em literatura, cultura popular e interseccionalidade.

 

Professor Alexandre Bragion (mediador)

Possui graduação em Letras pela Universidade Metodista de Piracicaba (2000), mestrado em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (2007) e doutorado em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas (2013). Atualmente é professor da Universidade Metodista de Piracicaba e da Escola de Música de Piracicaba Maestro Ernst Mahle. Coordena também o curso de especialização, lato sensu, em Literatura e Outras Linguagens Artísticas; oferecido pelo curso de Letras Língua Portuguesa da Universidade Metodista de Piracicaba. É um dos produtores/apresentadores do programa radiofônico Educativa nas Letras; veiculado pela Rádio Educativa FM de Piracicaba.

 

 

 

Anote: terça, dia 31 de outubro, às 19h30, no Auditório Verde da Unimep. Entrada franca!



advertisement

Be the first to comment on "IV Fórum de Africanidades evoca a resistência."

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.


*