Tamancadas de ontem e hoje! – por Carla Ceres

tamancos

Dizem que, na época da Revolução Industrial, os trabalhadores europeus, insatisfeitos com suas condições de trabalho, usavam seus tamancos para danificar ou emperrar as máquinas, paralisando o funcionamento das fábricas. Da palavra francesa para “tamanco” − “sabot” − surgiu o termo “sabotagem”. Bem, essa é a versão mais conhecida da história. Há, no entanto, quem diga que a verdadeira sabotagem não tinha nada a ver com tamancos travando engrenagens, mas com os trabalhadores fazendo corpo mole, arrastando seus tamancos lentamente pelo chão da fábrica, para atrapalhar o andamento do serviço.

Claro que as duas formas de sabotagem – destruição e embromação − eram efetivas e podiam acontecer simultaneamente. Diante das máquinas quebradas, os supervisores não tinham tempo a perder com bobagens como usar um cão farejador para descobrir a identidade do cinderelo revoltoso. Em grandes fábricas, a operação tartaruga era difícil de controlar porque a lerdeza só acontecia quando os supervisores viravam as costas. Sem flagrante, os sabotadores saiam livres.

Nos dias de hoje, a sabotagem abandonou os tamancos e assumiu formas diversas, desde as mais sutis até as bem estúpidas. Entre as sutis, está o nome do mascote da Copa do Mundo de 2014, “Fuleco”. Foi uma tamancada quando os organizadores descobriram que o verbo “fulecar” existe e significa “perder todo o dinheiro que se leva, ao jogo”.

724720001_335dd7496c

A escolha do nome foi por votação popular. As opções eram três terrores: “Amijubi”, “Fuleco” e “Zuzeco”. Venceu o que o espírito-de-porquismo brasileiro preferiu por soar parecido com “fuleiro”. A sabotagem pode ter sido dupla. Primeiro um sabotador, que trabalhava para a FIFA, teria incluído “Fuleco” entre os nomes, de propósito, sabendo de seu significado. Se isso aconteceu, foi uma sabotagem interna brilhante porque ninguém pode provar que foi intencional. Depois o povo protestou através do voto. Da sabotagem popular, não tenho a menor dúvida.

Um exemplo de sabotagem estúpida aconteceu em uma universidade dos Estados Unidos. Chegando ao laboratório, uma pesquisadora descobriu que todos os peixes que estava estudando haviam morrido. Desconfiada, tratou de arrumar novos espécimes e de escrever seu nome no aquário para diferenciá-lo dos demais. No dia seguinte, a mortandade se repetiu apenas com seus novos peixes. Aquilo pareceu o cúmulo, mas ainda não era. A cientista conseguiu que instalassem uma câmera de vídeo no local e flagrou um colega envenenando seu terceiro grupo de animais. Claro que o sujeito foi expulso da universidade. Três envenenamentos seguidos! Imagino esse sabotador atuando na época da Revolução Industrial. Provavelmente usaria os tamancos para sapatear sobre as máquinas até ser pego.

—————–

Carla Ceres é escritora

carlicatura Carla Ceres



advertisement

10 Comments on "Tamancadas de ontem e hoje! – por Carla Ceres"

  1. Regina Magnabosco | 20 de maio de 2014 at 23:35 | Responder

    Oi, Carla!
    Essa origem da palavra sabotagem é interessante. E, além de ter aprendido com seu artigo, eu também fiquei com a suspeita de que o cara da FIFA escolheu a palavra Fuleco de propósito, pra curtir com a cara da gente.
    P.S.: Amei os tamanquinhos da foto… pra pendurar na parede, só pra pendurar na parede.
    Beijo!

  2. oi Carlinha,

    tem gente que é mesmo espírito de porco(como dizia minha avó),
    agora vamos conversar ao pé do ouvido:
    Fuleco é demais mesmo,
    sabotagem ou não,
    está bem de acordo com o momento atual do nosso querido Brasil, brasileiro…

    beijinhos

  3. Hahahaha gostei desse cara dos peixes! Kkkkk

    Agora FULECO foi a pior hein?! Que vergonha…

    E a propaganda com aquele cara tonto falando pra passar a bola pro Fuleco?! Me dá vontade de jogar as tamancas na tv! Aff…

  4. Minha querida

    Não sabia dessas definições para os tamancos, que por cá apenas eram usados no norte de Portugal.
    Gostei como sempre.

    Um beijinho com carinho
    Sonhadora

  5. Obrigada pela visita, Rosa! Aqui no Brasil, os tamancos holandeses são considerados exóticos. Algumas pessoas chegam a comprá-los para decorar a casa. Já vi muitos com arranjos de flores dentro. 🙂 Beijos!

  6. levando em conta o destino dos estádios construídos em manaus, brasilia, etc, se considerarmos que o governo federal isentou a fifa de todos os impostos no pais… só podemos concluir que fuleco é o nome mais adequado que existe, gênio o cara que o nomeou! acho que quem jogou o tamanco foi o governo e a fifa em nós! tamancada hein….! rsss

  7. kkkkkkk Concordo, Idinaldo, gênio mesmo. Abraço!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.


*