Pira é Seresta! Ouça e curta!

Ainda na série dos destaques de Piracicaba, a tradicional seresta piracicabana não poderia ficar de fora! Celeiro do que de melhor se produziu nesse gênero, a cidade contou com regionais, conjuntos e seresteiros que marcaram época!

Atuante até os anos iniciais do século XXI, o aclamado “Conjunto Serenata de Piracicaba” encantou gerações de Piracicabanos. Liderado pelos irmãos Belluco – Sérgio (violão e arranjos) e Waldir (violino) – 0 Conjunto Serenata reuniu músicos que fizeram história na Noiva da Colina, como o exímio violinista Olênio Veiga, o flautista Léo Olita, o violonista Tuffi e Zé Moreno ao cavaquinho. Mais modernamente, músicos de renome como Alessandro Penezzi também chegaram a frequentar as rodas de seresta do grupo. Acompanhados pelo Conjunto Serenata, um grande elenco de cantores e seresteiros enchiam as noites piracicabanas de graça e beleza.

Representantes atuante dessa geração, Antonio Carlos Fioravante – o Bolão – e Thereza Alves nos trazem hoje os sons daquele tempo. Por sua vez, herdeiro dessa tradição, o jovem e genial Roberto Seresteiro leva o nome da seresta piracicabana para todo Brasil.

Em tempo, voltaremos com matérias especiais sobre a seresta piracicabana. Por ora, fiquemos com a bela música do Conjunto Serenata, em gravação especial realizada no então Teatro Municipal Doutor Losso Netto.

[Antonio Carlos Fioravante interpreta a valsa “Adoração”, do compositor Erotides de Campos, com versos de Jonas Neves  – na verdade, o próprio Erotides. O acompanhamento é do Conjunto Serenata de Piracicaba, nesta ocasião formado pelo Prof. Sérgio Belluco (violão e arranjos), Waldir Belluco (violino), Alexandre Mauro Bragion (violino)]

 



advertisement

Be the first to comment on "Pira é Seresta! Ouça e curta!"

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.


*