Paranoia Padrão FIFA

22terrorista

Se você ainda não viu a notícia, pode procurar na internet: a Marinha andou pensando em colocar uma bateria de mísseis antiaéreos no alto de um prédio, na Tijuca, para proteger o Maracanã, durante os jogos da Copa. Como alguns moradores reclamaram, talvez os mísseis sejam levados para outro lugar, mas quem estiver no estádio durante suas sete partidas (inclusive a final) pode se sentir “protegido”.

Terror FIFAOficialmente, a intenção é intimidar qualquer imitador de Bin Laden que pretenda invadir a área de exclusão aérea (um raio de sete quilômetros ao redor do estádio). Acontece que terroristas e os malucos que os imitam não são famosos por se deixar dissuadir por ameaças de violência. Morrem felizes pelas causas que acham justas ou, no caso dos imitadores, arriscam-se bestamente, pela vontade de aparecer. Pode apostar que já tem uma porção de desocupados pensando em sobrevoar o jogo nem que seja com um drone, para filmar a proeza e colocar o vídeo no You Tube. Pra quê? Pra provar que conseguiu dar um olé na vigilância. É a mesma lógica que leva os pichadores a se arriscar para deixar sua marca em lugares altos, perigosos e bem-vigiados.

heroisJá que as Forças Armadas parecem acreditar na remotíssima possibilidade de terrorismo aéreo, não custa nos perguntarmos o que aconteceria se um drone, por exemplo, um desses pequenos helicópteros que fazem entrega de pizza em domicílio (ou de celulares e drogas em presídios) invadisse o perímetro de segurança. Soltaríamos os mísseis atrás dele? Drones voam por controle remoto e, de longe, não dá pra saber se estão carregando uma câmera de vídeo ou uma pizza C4 queijos. Podemos abatê-los sem dor no coração, mas detestaríamos ter que fazer o mesmo com um piloto de paraglider que resolvesse, de brincadeira, pousar no estádio.

Imagine o belo show de fogos que um míssil interceptando um drone (uma asa-delta, um paraglider) proporcionaria aos torcedores. E se, em vez de um drone, fosse um helicóptero de verdade ou um teco-teco? A explosão e a chuva de destroços em chamas sobre uma área residencial entrariam pra História. Terrorismo se combate com inteligência, discretamente, não exibindo poder bélico em uma cidade cujos traficantes possuem armas de uso “exclusivo” das Forças Armadas. Nesta altura do campeonato, exibicionismo parece provocação e pode terminar em tragédia.

—————————

carlicatura Carla Ceres

 

 

 

 

 

Carla Ceres é escritora



advertisement

17 Comments on "Paranoia Padrão FIFA"

  1. Show de ilustrações, Alê! Beijos!

  2. Olá Carla, e que tudo esteja bem!

    Concordo com tuas palavras Carla, pois na minha enorme ignorância, acredito que tudo está conforme planejado para este gigantesco palco chamado Brasil.

    Os bonecos dos ventríloquos disseminaram o recado, e as marionetes estão todas posicionadas para iniciar o show que ensaiaram nestes últimos quatro anos, tudo dentro do planejado, e após o show quem leva o prêmio com certeza não serão as marionetes!

    Mas, creio que seguiremos, e talvez conhecido em todo planeta como a nação dos rastejantes, pois de tanto abaixarmos a cabeça para qualquer um que nos ordenar qualquer ação, logo estaremos feitos répteis, caminhando com a cara rente ao chão!
    Como já dizia aquela comediante na TV, “brasileiro é tão bonzinho”!
    Obrigado por compartilhar mais este inteligente escrito, pois é sempre prazeroso ler teus textos por cá!
    Que seja sempre tão intenso e feliz o teu viver, obrigado pelas visitas e comentários, grande abraço e, até mais!

  3. Eu que agradeço, Sotnas. Abraço!

  4. Fala, Carla! Putz, tô me sentindo alienadão aqui, nem tava sabendo dessa coisa de míssil no alto de prédios! Pela situação dos morros cariocas nem fico lá tão surpreso. Muito bom o texto.
    Beijo grande.

  5. Regina Magnabosco | 13 de junho de 2014 at 15:26 | Responder

    Oi, Carla 🙂
    Após a leitura de seu artigo, fiquei a refletir… como seria melhor se não existissem os terroristas e seus imitadores. Mas eles existem e é preciso conviver com essas pessoas que gostam de impor seus pensamentos com violência. Realmente, é preciso muita inteligência e também muita paciência.

  6. sabe nada esta inocente….. hahahaha…. tu nao entendeu nada Carla….. serão usados como fogos de artificio no jogo da final, nunca antes na historia deste pais teve fogos iguais a este..hahahaha.

  7. Ahhhhh eu não sabia disso kkkkk
    levando em consideração o quanto estamos indo bem, acho que só fã,tá vá isso pra estragar de vez mesmo.
    Imagina uma final com os EUA? Eles que são enganados com a segurança kkkkkk

    Beijo Carla!

  8. Bom dia, Carla
    Tenho que me zangar com os meus correspondentes brasileiros (que não são poucos), que diariamente me mantêm informada do que se passa nesse maravilhoso país, e nenhum me falou nessa cena dos mísseis.
    A não ser que eles conheçam e cumpram a “regra de ouro” – há segredos que não se podem revelar! 🙂
    Toda a gente sabe – pelo menos leu a respeito – que a bomba atómica permaneceu no segredo dos deuses até explodir; que os espiões passam por cidadãos comuns e só assim conseguem levar as suas missões a cabo; que a guerra de guerrilha só vence porque se move “no escuro”… enfim, que o bom jogador não mostra os seus trunfos.
    Resumindo: colocar mísseis em sítios estratégicos e não manter acerca disso um silêncio intranspirável – parece-me, no mínimo, falta de inteligência. Para não dizer mesmo – estupidez!
    Se a ideia era amedrontar… qualquer criancinha sabe que a reacção normal perante violência é reagir ainda mais violentamente.
    Fico-me por aqui… embora muito ainda houvesse a dizer. Mas não quero correr o risco de ser presa :))) Anda por aí muita violência escondida… 🙂
    Gostei muito de seu texto, como sempre, e as imagens (não sei se foi a Carla que as inseriu) são giríssimas e perfeitamente adequadas.
    Beijinhos

    • Brilhante comentário, Mariazita! Concordo 100%. As imagens foram escolhidas pelo Alexandre Bragion. Entre mil outros talentos, ele também é mestre em encontrar ilustrações giríssimas. 🙂 Beijos!

  9. O arsenal de bobagens produzidas por esta Copa no Brasil parece crescer a cada instante que passa. Eu já tinha esbarrado nessa notícia e tive mesma linha de penamento exposto aqui. Depois ficam querendo entender porque a paciência brasileira tem entrado em sucessivas convulsões.
    Cadinho RoCo

  10. oi Carlinha,

    vi a notícia num jornal de tv,
    e para te dizer a verdade fiquei tão indignada quanto os entrevistados pelo repórter,
    será que existe a necessidade de tanto aparato?
    acho mesmo que tudo pode ser mais suave…
    mas vai saber tem louco pra tudo!!!

    beijinhos

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.


*