Ibope marca fim da polaridade PT-PSDB e assinala derrocada dos tucanos.

Ex-presidente Lula (PT) segue em primeiro nas intenções de voto pelo país. 

 

A crise política que se inicia mais pontualmente no Brasil a partir de 2013/2014 – com a reeleição da presidente Dilma (PT) e a não aceitação do resultado final do pleito pelo candidato do PSDB, derrotado em segundo turno (não aceitação essa que coloca os derrotados em campanha pela queda da presidente – o que de fato conseguem em 2016) – parece ter culminado agora, bem às avessas, na derrocada dos próprios tucanos pelo país explicitada pela péssima pontuação de Geraldo Alckmin na pesquisa divulgada hoje pelo Ibope.

Um dos baluartes da campanha anti-PT, anti-Lula e anti-Dilma, o PSDB – que sempre conseguiu escapar ileso das  mais diferentes acusações de corrupção a seus políticos impetradas – está na rasteira da corrida eleitoral pelo Palácio do Planalto.

Com míseros 4 por cento, Geraldo Alckmin aparece em quinto lugar na pesquisa do Ibope, à frente apenas dos pré-candidatos ditos”nanicos” – todos com somente um por cento das intenções de voto.

A queda de Alckmin para o fim da tabela assinala também, ao menos até aqui, o término da polarização PT – PSDB. Isso porque, com 33 pontos percentuais nas intenções de voto, o ex-presidente Lula lidera a pesquisa com larga folga em relação ao segundo, terceiro e quarto colocados. Sobrando, em muito, em relação a Geraldo Alckmin do PSDB.

Em segundo, segue Jair Bolsonaro (PSL), estacionado nos seus eternos 15 por cento. No entanto, Bolsonaro é também o mais rejeitado, ao lado do ex-presidente Fernando Collor (PTC), ambos com homéricos 32 por cento de rejeição.

Alckmin (PSDB) também está entre os bem rejeitados, angariando 22 por cento das rejeições para si.

LULA

O ex-presidente Lula segue em primeiro nas intenções de voto, mas também tem alto índice de rejeição: 33 por cento.

Brancos e nulos chegam a 31 por cento.

 

Confira a pesquisa do Ibope apresentada nesta quarta.

 

Cenário com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva:

  • Luiz Inácio Lula da Silva (PT): 33%
  • Jair Bolsonaro (PSL): 15%
  • Marina Silva (Rede): 7%
  • Ciro Gomes (PDT): 4%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 4%
  • Álvaro Dias (Podemos): 2%
  • Manuela D’Ávila (PC do B): 1%
  • Fernando Collor de Mello (PTC): 1%
  • Flávio Rocha (PRB): 1%
  • Levy Fidelix (PRTB): 1%
  • João Goulart Filho (PPL): 1%
  • Outros com menos de 1%: 2%
  • Branco/nulo: 22%
  • Não sabe/não respondeu: 6%

Cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva:

  • Jair Bolsonaro (PSL): 17%
  • Marina Silva (Rede): 13%
  • Ciro Gomes (PDT): 8%
  • Geraldo Alckmin (PSDB): 6%
  • Álvaro Dias (Podemos): 3%
  • Fernando Collor de Mello (PTC): 2%
  • Fernando Haddad (PT): 2%
  • Flávio Rocha (PRB): 1%
  • Guilherme Boulos (PSOL): 1%
  • Henrique Meirelles (MDB): 1%
  • Levy Fidelix (PRTB): 1%
  • Manuela D’ Ávila (PC do B): 1%
  • Rodrigo Maia (DEM): 1%
  • João Goulart Filho: 1%
  • Outro com menos de 1%: 1%
  • Branco/nulo: 33%
  • Não sabe/não respondeu: 8%

Be the first to comment on "Ibope marca fim da polaridade PT-PSDB e assinala derrocada dos tucanos."

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.


*